dantonismo (partita #13 modéré, ben marcato)

«Com as crianças use a força; com os homens, a razão; essa é a ordem natural das coisas. O homem sábio não precisa de leis.» JEAN-JACQUES ROUSSEAU

Estou aqui, como um Danton covarde, de boca rasgada, nariz torto pelos anos de confronto comigo mesmo, um orador sem língua, um escritor sem leitores. Estou aqui, o cenho franzido, minha cara embirrada, minhas marcas do dia à noite, minhas brigas com os porcos do sistema, sempre as minhas, minhas, minhas brigas e nóias.

Tenho um olho em cada extremidade temporal, tal uma anomalia estranha que, diante de sua imagem em imbecis espelhos existenciais, erige bizarras combinações comportamentais e esconde-se atrás duma poderosa autoconfiança que pode ruir no primeiro olhar torto.

Sempre um olhar torto.

Sempre um jeito molenga de dizer as coisas, de olhar para os lados e fingir que não é com você.

Estou aqui, diante de todas as hipocrisias e falsidades do mundo e não posso fazer nada. Minha vontade é de colocar a todos numa guilhotina improvisada com minhas próprias estupefações, um colossal e aterrorizante engenho de morte construído com as mais autênticas pasmaceiras e incompreensões pessoais.

Eu quero mesmo é que as cabeças rolem como bolas. Pra dentro do cesto. Agora.

[CATO ALBERICO RIBEIRO]

Anúncios
Etiquetado , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: